Altamira registrou o maior número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave no Pará em 2018; vacinação começa em abril

Altamira registrou o maior número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave no Pará em 2018; vacinação começa em abril
março 29 13:47 2019
Abril é o mês de vacinação contra a gripe. A campanha deve começar no dia 10 e se encerra em 31 de maio. Dados da Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa) apontam que Altamira foi o município paraense que teve o maior número de registros de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em 2018: foram 453 casos notificados. Em segundo lugar, aparecem Belém (392 notificações) e Parauapebas (81 notificações). Em todo o Estado, foram 1208 casos de SRAG notificados em 2018, com 97 mortes. De acordo com a Divisão de Vigilância Epidemiológica da Sespa, as principais vítimas foram crianças de sete meses a dois anos de idade, com 367 casos notificados, seguida das crianças menores de seis meses de idade, com 297 casos registrados; e idosos com 60 anos ou mais, com 207 casos notificados. No Amazonas, a campanha de vacinação já começou, já que um surto da doença foi confirmado no estado que é vizinho ao Pará.
De acordo com a biomédica e coordenadora dos cursos de Saúde da Faculdade Serra Dourada Unidade Altamira, Daiane de Oliveira Cunha, os principais sinais e sintomas de síndrome gripal são febre de início súbito, acompanhada de tosse ou dor de garganta, e pelo menos um dos seguintes sintomas: dor de cabeça, dor nos músculos ou dor nas articulações, na ausência de outro diagnóstico específico. Em crianças menores de dois anos de idade também se deve considerar como caso de SG febre de início súbito e sintomas respiratórios como tosse, coriza e obstrução nasal. “Os sinais e sintomas de agravamento da doença evoluindo para SRAG são dispneia, desconforto respiratório, saturação de oxigênio menor que 95% em ar ambiente e piora da doença pré-existente e pressão baixa em relação à habitual do paciente”, explica.
A biomédica ainda afirma que, para tentar reduzir os riscos de contrair ou transmitir as doenças respiratórias, a população deve lavar e higienizar as mãos antes de consumir alimentos e após tossir e espirrar, utilizar lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir, evitar tocar nas mucosas dos olhos, nariz e boca; não compartilhar objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos e garrafas, manter os ambientes bem ventilados; e evitar ficar perto de pessoas com sinais e sintomas de gripe. “A vacina também é considerada uma medida eficaz para reduzir os riscos de contrair a doença. Crianças menores de dois anos de idade, idosos com mais de 60 anos de idade, grávidas em qualquer idade gestacional, puérperas até duas semanas após o parto, pessoas com doenças crônicas, imunossupressão, indígenas e obesidade mórbida são considerados mais propensos a desenvolver SRAG, por isso, são grupos prioritários nas campanhas de vacinação contra a gripe”, diz.
  Categories: