Casal vende trufas em ônibus de Belém para bancar casamento e história viraliza

Casal vende trufas em ônibus de Belém para bancar casamento e história viraliza
janeiro 17 14:36 2019

O espaço entre os passageiros no ônibus Almir Gabriel-Ver-o-Peso era apertado, quase inexistente, na noite desta terça-feira (15), quando Nivia Silva e Lúcio Mauro pensaram em subir no coletivo com uma cesta de trufas e uns cartazes nas mãos. Pensaram em desistir. Repensaram: igual ao espaço no ônibus, apertado é o prazo de pouco menos de um mês para a realização do grande sonho do casal. Foram em frente, e a história deles viralizou nas redes sociais após o click do fotojornalista Maycon Nunes, o ‘caçador’ das boas histórias através de suas lentes pelos coletivos de Belém e Região Metropolitana. ” Há seis anos fotografo dentro dos coletivos e acompanho pessoas e histórias incríveis. É o meu olhar para o outro que dura alguns minutos no sobe e desce das paradas ao longo da BR-316″, conta Maycon.

Nivia, de 27 anos, que é consultora de vendas de uma loja na Cidade Nova, e Lúcio, de 31 anos, funcionário de uma loja de colchões, estão juntos desde 2016. Em 17 de dezembro de 2017, eles noivaram. Iriam casar em uma cerimônia comunitária no último mês de dezembro, mas perderam alguns prazos.

Agora, estão com a cerimônia de matrimônio marcada para o próximo dia 07 de fevereiro, na igreja Assembleia de Deus Floresta Park, em Ananindeua. Com a ajuda de alguns conhecidos, conseguiram cobrir parte dos gastos. No entanto, falta boa parte das despesas. Por isso, decidiram vender as trufas nos coletivos.

“Começamos ontem (15). Foi nossa primeira noite de venda nos coletivos para conseguir fundos para o casamento. As vendas foram ótimas até. Vamos voltar amanhã (17). Faremos dia ‘sim’ e dia ‘não’ porque temos nossos empregos. No final de semana, devemos ir todos os dias”, contou Nivia à reportagem do Diário Online.

O casal ia concretizar a união apenas na cerimônia civil, após ter conseguido ajuda de um pastor para pagar custear parte dos gastos do cartório. No entanto, decidiram correr atrás do sonho de ter um casamento religioso.

“Quando fui procurar decoradora para a festa, vi que os gastos fugiam completamente do nosso orçamento. Algumas pessoas estão nos ajudando. Conseguimos parte do buffet, parte da decoração, mas ainda faltam muitas coisas”, explica a moça.

É uma amiga de Livia, por exemplo, que está auxiliando na produção das trufas: a noiva compra o material, e a amiga dela faz os doces. Ontem, 48 trufas foram feitas, e todas foram vendidas (pelo preço de R$ 2), em um período de aproximadamente duas horas. Amanhã, a jovem deve levar brigadeiros (por R$ 1) para vender nos coletivos.

E, além da renda com os doces, o casal conseguiu outros auxílios após o esforço viralizar nas redes sociais: o fotojornalista já se prontificou para fazer um ensaio antes do casamento com os noivos.

“Ontem, subimos em mais ou menos cinco ônibus. Quando entramos no Almir Gabriel-Ver-o-Peso, e o ônibus tava lotado, diversas pessoas se mobilizaram, tiraram fotos. Por ser algo cotidiano, pensei que ia ser apenas mais uma história em meio a tantas que as pessoas escutam no ônibus. Estava confiante que íamos conseguir, mas não imaginava que teríamos esse sucesso nas vendas”, afirmou Livia.

Se as vendas continuarem boas, parte da renda obtida também deve ser usada pelo casal para tentar uma lua-de-mel no Marajó.

“Vamos continuar no nosso objetivo. Deus colocou esse propósito [do casamento] no nosso coração”, concluiu Livia.

Quem quiser ajudar o casal, pode entrar em contato pelo número 9 8941-7723 (WhatsApp).

  Categories: