Cirurgias eletivas: Saúde de Marabá perde 300 mil e população reclama da fila de espera

Cirurgias eletivas: Saúde de Marabá perde 300 mil e população reclama da fila de espera
fevereiro 08 16:31 2018

Recentemente muitos marabaenses comemoraram os mutirões para a realização de cirurgias eletivas. E agora o serviço está comprometido, mais uma vez.

Em julho do ano passado o Ministério da Saúde destinou o montante de nada menos que 813 mil reais para a realização das cirurgias eletivas nos Hospitais de Média Complexidade da sua rede de saúde, assim sendo, o Hospital Municipal de Marabá (HMM), o Hospital Materno Infantil (HMI) e outros que sejam conveniados para prestar tais serviços. A demanda é de responsabilidade do Departamento de Média e Alta Complexidade do município, chefiado pela enfermeira Darmina Duarte.

Com esse valor seria possível realizar algo em torno de mil cirurgias.  As cirurgias eletivas voltaram a ser um problema segundo alguns usuários do município que procuraram o site para denunciar o descaso. Em novembro, o município perdeu 300 mil reais, dos 813 mil, ficando apenas 513 mil reais. De acordo com a Resolução Nº 122, de 20 de novembro de 2017, da Comissão Intergestores Bipartite do Sistema Único de Saúde do Pará (CIB/SUS/PA), o valor foi reajustado devido à demora na execução dos procedimentos. fato esse ainda não explicado pela chefia do departamento.

Pelos corredores da Secretaria de Saúde de Marabá e dos hospitais o assunto é pertinente e que tenha acontecido uma supostamente intencional e possível perseguição política ao  ex secretário de saúde de Marabá, Marcone Leite, que deixou o cargo no dia 26 de janeiro deste ano. Ainda segundo populares, Marcones José Santos  é cunhado da enfermeira. E que o mesmo teria sido supostamente indicação dela.

Até agora a SMS não justificou o motivo no atraso das cirurgias eletivas. Nenhuma justificativa plausível aos pacientes que continuam na fila de espera que tem aumento a cada dia.

Os questionamentos feitos pelos usuários são:

  • Por qual motivo os procedimentos não começaram logo? Tendo em vista que a portaria do Ministério da Saúde foi publicada em julho, porque o município perdeu cerca de 40% do valor total inicialmente destinado pelo Ministério da Saúde, sendo que teve de julho a dezembro para realizar os serviços?
  • Porque encerraram os tais mutirões e as filas continuam gigantescas. Uma vez que certamente, estes 300 mil reais “perdidos” dariam pra amenizar a dor e o sofrimento de outras centenas de pacientes?

Fatos a ser esclarecidos a população de Marabá:

No dia 05 de dezembro, através do site da prefeitura, a assessoria de comunicação informou que: “Marabá vai realizar 839 cirurgias eletivas até o final do ano”. Pela data e pelos cálculos, faltavam 26 dias para o final do ano. Seria possível cumprir a meta? Vale lembrar que essa fila de espera é de 2012. Na mesma matéria a enfermeira Darmina disse “Temos uma demanda reprimida de oito mil cirurgias, sendo que tem pacientes no sistema de 2012”.

No dia 12 de janeiro deste ano, também através do site da prefeitura, a assessoria de comunicação informou que a SMS avaliou como positiva o processo de mutirões. Como foi positiva com uma parte da verba sendo cortada? se a fila de espera não diminuiu? Mais uma vez Darmina voltou ao centro do assunto. Na matéria ela disse que “uma das terceirizadas demorou entrar no ritmo, mas a meta foi relativamente compensada por outras equipes”. O que de fato  atrasou o processo? Em mais uma de suas falas a chefe imediata do departamento de alta complexidade cita “Essas cirurgias prosseguem indefinidamente, sem prazo para um término”. Então por qual motivo houve o corte do repasse?

O prefeito Tião Miranda disse em uma das matérias publicadas que;“ Tenho certeza que toda a equipe está empenhada em fazer o melhor pela saúde da nossa população e este mutirão vai continuar até atendermos todos que estão na fila de espera”.

Mas a duvida da sociedade é como será atendido a demanda se parte da verba foi perdida, por falta de cumprimento da resolução supracitada acima, e como ficará a vida dos pacientes que esperam por sua cirurgia?

 

A Redação tentou entrar em contato com a Assessoria de Comunicação, Secretaria de Saúde e com a Diretora de Alta e Média Complexidade de Marabá, mas não obteve êxito. O site Acontece Pará aguardará para publicação a nota tanto da Secretaria de Saúde quanto do Prefeito do município.

Da Redação

  Categories: