Crianças são as principais vítimas de pneumonia no período chuvoso

Crianças são as principais vítimas de pneumonia no período chuvoso
janeiro 24 12:06 2019

Com a chegada do período chuvoso aumenta a preocupação nos hospitais com o aumento de ocorrências de casos de pneumonia na população. Crianças de até 5 anos, por exemplo, são as mais afetadas. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, (OMS), 1,2 milhão de óbitos por conta da infecção são registrados ao ano, um inimigo que interrompe a vida de indivíduos antes mesmo que cheguem à vida adulta.

A infecção está também entre as três principais causas de morte em todas as idades, atrás apenas das doenças cardíacas e das doenças cerebrovasculares. Estima-se que a pneumonia cause a morte de uma criança a cada 20 segundos, mas as conseqüências não afetam apenas os pequenos. A doença é mais frequente abaixo dos cinco anos e também acima dos 65 anos.

Neste período do ano, em que as chuvas predominam em boa parte do Pará, cresce a incidência da pneumonia. Estes índices preocupam os médicos que passam a receber cada vez mais pacientes com a doença. Cerca de 30% da população porta algum tipo de alergia, o que pode se complicar no período chuvoso.

De acordo com médico Cláudio Martins, diretor técnico do Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), em Breves, no sudoeste marajoara, esse conjunto de sintomas, acompanhado de febre, se não for tratado adequadamente, pode evoluir para uma situação mais grave.

“O HRPM atende um número considerável de pacientes, em especial, no setor pediátrico onde a incidência da doença entre as crianças é alta, principalmente épocas mais chuvosas, quando as pessoas costumam ficar mais aglomeradas em espaços menores e próximas umas das outras. Isso faz com que a transmissão dos fatores que causam pneumonia aumente”, explicou, ao ressaltar que, entre  as crianças o índice é maior por serem ainda imunodeficientes, ou seja, ainda não formaram o sistema de defesa completamente.

De acordo com o enfermeiro Higor Tostes, do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), a maioria dos pequenos usuários já chegam no hospital com o quadro infeccioso em evolução e  com grande propensão ao derrame pleural. “A a elevação da umidade, acompanhada de alterações da temperatura e do resfriamento do corpo, provoca o enfraquecimento do sistema imunológico, favorecendo a penetração de vírus, fungos e ácaros, responsáveis pela transmissão de doenças”, complementou.

(acontecepara Com informações da Agência Pará)

  Categories: