Enquanto Jatene canta e pesca, PMs são assassinados no Estado

Enquanto Jatene canta e pesca, PMs são assassinados no Estado
abril 04 13:38 2018

Enquanto a conta de policiais militares assassinados aumenta no Pará, o governador Simão Jatene continua sem dar respostas à categoria e à sociedade. É o que denunciam os movimentos em defesa dos direitos dos militares no estado. O homicídio mais recente foi o do subtenente da reserva João Bosco Vieitas de Sousa, 53 anos, morto a tiros próximo de sua residência, na tarde do domingo (1º).

O subtenente estava em um bar a poucos metros da própria casa quando dois homens se aproximaram a pé e o atingiram com oito tiros, sem chance de defesa, no final da quadra 2 do Conjunto Verdejante I, bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, Grande Belém. Ele foi o 17º PM assassinado apenas nesses três primeiros meses do ano.

Na avaliação do sargento Francisco Xavier, da Associação Nacional dos Militares do Brasil (ANMB), o Governo deixou de investir na segurança pública faz tempo e é preciso um novo plano emergencial para tentar mudar esse cenário de violência no Pará.

“A PM comemora 200 anos de corporação em uma situação de total abandono. Há anos, viemos alertando sobre a entrada do crime organizado no Pará e hoje o que observamos é a falta de comprometimento do estado com a segurança pública”, aponta. De acordo com Xavier, os policiais militares atualmente não contam com a estrutura nem o efetivo suficiente para trabalhar. Outro problema indicado é o pagamento indevido dos salários, já que a classe não ganha reajuste há quatro anos. “Tudo isso impacta na rotina do policial militar e traz mais vulnerabilidade não apenas para a categoria como para a sociedade no geral. O governador é o chefe maior do estado, mas faz de conta que não está acontecendo nada”, denuncia.

O vereador Sargento Silvano (PSD) corrobora com essa afirmação. Segundo ele, a tropa está descontente com as péssimas condições de trabalho e a falta de posicionamento do governador do estado. “Enquanto Jatene aparece cantando, pescando e se divertindo, nada faz para a segurança da população. O governador permanece na inércia e tem se mantido duro, sem receber as demandas da categoria”, reitera.

SEGUP FALA EM MAIS DE 11 MIL POLICIAIS CAPACITADOS

Por meio de nota, a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) informou que “ a Polícia Militar do Pará investe na realização do seminário ‘Comportamento de Autoproteção’, visando despertar o nível de atenção do policial militar em serviço ou de folga, no intuito de evitar que ele se torne uma vítima. Além disso, discute os riscos inerentes à profissão policial e as respostas preventivas e imediatas necessárias à manutenção da vida”.

Diz ainda o comunicado que “O treinamento iniciou em novembro de 2015 e já capacitou mais de 11 mil policiais militares lotados na capital e no interior do estado.

A Segup afirma ainda que neste semestre, o seminário irá iniciar o módulo prático. O objetivo é formar 56 Oficiais multiplicadores em todos os Comandos de Policiamentos Regionais. Um protocolo de Autoproteção também já estabelece as principais medidas a serem tomadas quando um policial é vitimado. Além disso, a Corregedoria Geral disponibiliza o projeto “PM Vítima” para dar apoio à militares que se sentirem vulneráveis ou forem ameaçados.

(Alice Martins Morais/Diário do Pará)

  Categories: