Mais da metade dos grupos de risco ainda não tomou vacina contra gripe no Estado

Mais da metade dos grupos de risco ainda não tomou vacina contra gripe no Estado
maio 24 11:42 2018

A dez dias do fim da campanha nacional de vacinação contra gripe, apenas 47% da população que faz parte dos grupos prioritários no Estado já se imunizaram, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa). De acordo com Jaíra Ataíde, coordenadora estadual do Programa de Imunizações, o número está muito abaixo do esperado. Em 2017, por exemplo, cerca de 82% do público alvo já havia se vacinado nesse período. O prazo é o dia 1º de junho.

Os grupos que devem tomar a vacina são: crianças entre seis meses e cinco anos de idade; crianças entre cinco e nove meses com comorbidade; gestantes e mães de recém-nascidos de até 45 dias; idosos com mais de 60 anos; professores e profissionais da saúde das redes públicas e privadas; indígenas aldeados; jovens entre 12 e 22 anos que cumprem medidas socioeducativas; agentes prisionais; pessoas privadas de liberdade e portadores de doenças crônicas não transmissíveis. Apenas no Estado, são um total de 1,6 milhão de pessoas que precisam da vacina.

PREOCUPAÇÃO

Ataíde afirma ainda que hoje o grupo que mais preocupa a secretaria é o das crianças, que, além de ser o maior dentre os prioritários (com 658 mil crianças a serem vacinadas), é o que menos tem aderido à campanha. “Acreditamos que está havendo uma dificuldade dos responsáveis em trazer seus filhos até o posto por causa de compromisso e horários de trabalho”, deduziu a coordenadora. “Mas devemos lembrar que qualquer familiar pode trazê-los, o tio, o avó, o primo, desde que entenda a importância da vacina”, alertou.

A representante da Sespa alerta sobre a gravidade da gripe que, em grupos mais vulneráveis, pode levar a complicações sérias e até a morte. “Além disso, se uma pessoa que é mais vulnerável ao vírus não se vacina, ela não é só um risco maior a si mesma como às pessoas em volta também”.

Segundo a coordenadora, a prevenção é o melhor caminho para manter a população protegida da doença e que a hora de agir é agora. “Não vamos deixar para se prevenir só quando um caso grave de gripe acontecer no Estado”, orientou, lembrando que é muito mais fácil se vacina enquanto o movimento ainda está tranquilo e o atendimento pode ser feito de forma calma e rápida. “Deixar para cima da hora é um péssimo hábito que só causa transtornos. Longas filas de espera, funcionários sobrecarregados, estoques de doses esgotados que não conseguem ser repostos com tanta urgência, etc”, disse.

PROCURE O POSTO DE SAÚDE

Restam menos de dez dias para o fim do prazo. Então fique atento:

Se você faz parte de um dos grupos prioritários ou tem algum parente nessa situação, como filho, basta procurar um posto de saúde mais próximo, em posse da sua identidade e carteirinha de vacinação, para ter direito à sua dose de imunização.

A vacina protege contra três tipos diferentes de vírus e tem validade de um ano, portanto, se você se vacinou contra a gripe em 2017, precisa renovar sala proteção.

(Arthur Medeiros/Diário do Pará)

  Categories: