Polícia investiga latrocínio em área de invasão

Polícia investiga latrocínio em área de invasão
junho 04 15:46 2018

O pedreiro José Agenor Pereira Lima, 47 anos de idade, foi encontrado morto com vários golpes de arma branca na costas no interior do barraco de um cômodo de madeira, localizada na rua Carajás com Beijamin, bairro Nova Esperança, mais precisamente nas Casas da Caixa Econômica, ocupadas por sem teto, em Parauapebas.

A polícia judiciária investiga as informações que na madrugada de sexta para sábado, 02, vizinhos de José Agenor, escutaram uma discussão em direção a casa do mesmo, entretanto somente a noite sábado, ao sentir falta dele sua esposa Maria Antônia, resolveu realizar uma busca, e ao chegar no barraco onde a vítima havia ocupado e tinha plantado uma horta, percebeu que a casa estava fechada, ao abrir a janela que estava somente encostada a esposa da vitima se depararou com José Agenor no chão morto debaixo da cama em que dormia.

De acordo com informações repassadas para a equipe do delegado plantonista Fernando Oliveira, por volta das 22 horas de sexta-feira, 01, a vítima foi vista bebendo em um bar naquele mesmo bairro acompanhado de dois indivíduos.

Por volta das 02h00, da madrugada a vítima teria deixando o local em sua moto Yamaha, YBR, preta, placa HDX-9036, Tucumá-PA, juntamente com os dois desconhecidos que também estavam em uma outra moto de modelo e placa não anotada.

Ainda de acordo com as informações logo após chegarem em seu barraco moradores vizinhos da vítima escutaram uma ligeira discussão e em seguida os desconhecidos deixando o local levando a moto da vítima.

A polícia trabalhar com duas hipóteses latrocínio (matar para roubar ou acerto de conta). O crime aconteceu na rua Carajas esquina com rua Beijamim, bairro “Nova Esperança”, invasão das Casas da Caixa Econômica, localizadas na 6° etapa, bairro Nova Carajás, Parauapebas.

De acordo com a Maria Antônia Bezerra, esposa da vítima, eles moram no bairro da Paz, e na quinta-feira seu marido saiu de casa cedo para ir até ao lote na invasão, “Hoje liguei no celular dele é só dava caixa postal, esperei meu filho chegar e fomos até ao baraco ao chegar no local chamamos ele e nada de responder. olhamos na janela aí percebemos que a mesma estava aberta, quando olhei para dentro avistei ele deitado debaixo da cama e observarmos que a moto dele não estava no local.

Ainda segundo a viúva José Agenor, era uma pessoa boa que se dava com todo mundo. “Até agora não sabemos o que aconteceu com ele. Nós tínhamos combinado que domingo íamos a casa de um amigo nosso para almoçar um churrasco, e agora a noite foi surpreendida com a morte dele. mataram ele é levaram a moto, capacete e os documentos pessoais dele”. Após levantamento de local de crime a equipe de plantão da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas composta pelo delegado Fernando Oliveira e os investigadores Macio e Odorico Almeida, o corpo de José Agenor foi removido do local pela equipe de remoção do IML de Parauapebas. Até o fechamento da matéria a moto da vítima não havia sido localizada.

Fotos e texto: (Caetano Silva)

  Categories: