POLÍCIA: Um preso e outro morto após assalto na avenida Liberdade, em operação de combate ao crime da PM

POLÍCIA: Um preso e outro morto após assalto na avenida Liberdade, em operação de combate ao crime da PM
dezembro 11 17:13 2017

Alessander Mateus Sales Almeida, 20 anos de idade vulgo “Magrão”, está preso e seu comparsa Júlio César Viveiro Costa, vulgo “Batoré”, de 15 anos de idade, morreu em uma intervenção policial após a dupla ter assaltado o escritório do jogo denominado “Carajas da Sorte”.

Segundo informações o roubo aconteceu por volta das 15h30, de domingo, 10, na Avenida Liberdade, bairro Rio Verde, Parauapebas.

Ao fugirem a pé os mesmos foram alcançados por dois policiais a paizana que teriam dado voz de prisão para a dupla momento em que teriam sido revisados a bala por um dos acusados que estava armado de um revólver calibre 38, na hora da ação criminosa os criminosos renderam as pessoas que se encontravam no estabelecimento, levando vários aparelhos celulares e parte do dinheiro das vendas das cartelas do jogo.
Após o roubo a dupla deixou o local a pé, mas logo em seguida foi interceptada por dois policiais que passavam de carro no local que tomaram conhecimento do que havia acabado de ocorrer. Baleado um dos assaltantes identificado hora mais tarde como sendo o Júlio César, de apenas 15 anos de idade, que socorrido veio a óbito a caminho do hospital, enquanto que Alessander Mateus se encontra preso à disposição da justiça. Ouvido pela reportagem o mesmo disse que veio de Marabá a convite do adolescente que teria pago sua passagem e li recebido na rodoviária disse ainda que pela manhã e que havia vindo para praticar roubos a transeuntes nas rua de Parauapebas, que em sua primeira ação foi pego.

O acusado já puxou cadeia no município de Breu Branco, ao infrigir o artigo 157, quanto a arma Magrão disse que teria compra a mesma em Marabá.
Na delegacia além da arma apreendida pela polícia também foi apresentado ao delegado plantonista José Aquino, dinheiro e celulares subtraído no assalto. Magrão foi enquadrado pelo delegado no artigo 157 roubo qualificado, e se encontra a disposição da justiça.

TEXTO E FOTOS: CAETANO SILVA

O crime de violação de direito autoral consiste no fato de o agente “violar direitos de autor e os que lhe são conexos” (CP, art. 184).  Lei dos Direitos Autorais (Lei 9.610, de 19 de fevereiro de 1998). A violação de direito autoral na modalidade simples (caput), em razão da pena máxima cominada não ser superior a dois anos, o delito é considerado de menor potencial ofensivo, sendo possível a conciliação e a transação penal (Lei 9.099/95, art. 61, 72 e 76.

  Categories: