Servidores do Detran negam abusividade e discutem rumos da greve

Servidores do Detran negam abusividade e discutem rumos da greve
maio 10 15:31 2018

Prestes a completar um mês de greve no próximo sábado (12), os servidores do Detran realizam no final da manhã desta quinta-feira (10) uma assembleia para discutir os próximos passos do movimento. A discussão ocorre um dia após a Justiça determinar a abusividade do movimento e retorno das atividades. Os trabalhadores, entretanto, contestam a decisão e mantém a greve.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Trânsito do Estado do Pará (Sindtran), até o final da manhã de hoje, os servidores não haviam sido notificados oficialmente sobre a decisão. Entretanto, o sindicato afirma que, caso receba a notificação, irá entrar com uma contestação jurídica, afirmando que o movimento não infrigiu nenhuma norma ou lei.

Os trabalhadores estão reunidos em frente à sede do Detran, na avenida Augusto Montengro, onde será realizada a assembleia para decidir a continuidade da greve e as próximas ações dos trabalhadores. O resultado deverá ser definido no começo da tarde.

Em comunicado oficial, o trabalhadores ainda afirmaram que, sobre a questão da abusividade, consideram abusivas a “política fiscal do governo, que isenta grandes empresas, que deixaram de pagar mais de R$ 16 bilhões de 2011 a 2018”, a “crescente corrupção existente no Detran, com a nomeação de gerentes fantasmas”, a “terceirização, com a entrega do patrimônio público ao setor privado”, a “crescente violência no trânsito”, a “crescente violência no campo e na cidade” e o “congelamento de salários, o desrespeito, o desprezo e o descaso do governo em relação aos servidores públicos concursados”.

Os trabalhadores pedem ainda uma reunião com representantes do governo para negociar as pautas de reivindicação. Entre outros pontos, eles pedem o fim da terceirização, maiores investimentos na infraestrutura do Detran e a realização de concurso público.

(DOL)

  Categories: