Tentativa de Resgate já dura mais de 12h e três agentes penitenciários seguem reféns no CRPP II

Tentativa de Resgate já dura mais de 12h e três agentes penitenciários seguem reféns no CRPP II
setembro 28 13:41 2018

Na mannhã desta sexta-feira (28), A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) confirmou que já dura mais de 12h um motim no Centro de Recuperação Penitenciário Pará II (CRPP II), no Complexo de Santa Izabel, após uma tentativa de resgate de presos, na noite de ontem (27).

Segundo informações da Susipe um grupo de criminosos atacou o Centro de Recuperação Penitenciário do Pará II (CRPP II), localizado no Complexo de Americano, em Santa Izabel, nordeste paraense, na noite desta quinta-feira (27). por volta das 20h30 com o objetivo de libertar alguns detentos do local cerca de dez criminosos fortemente armados (ainda não identificados) teve acesso ao Complexo Penitenciário pela área de mata da Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel (CPASI).

Na ação, o bando rendeu três servidores de plantão da CPASI que foram obrigados a simular uma transferência interna de presos (em uma viatura oficial da Susipe) para ter acesso ao CRPP II o bando não exitou na ação criminosa. Como não encontraram meios de sair do CRPP II, pegaram quatros agentes como reféns.. ainda tivemos informações de que  alguns presos conseguiram fugir em uma caminhonete da própria Susipe, mas a informação foi negada inicialmente pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará, que informou não haver nenhum registro de rebelião ou fuga no CRPP II durante esta noite. No entanto, vários familiares de detentos estão no local em busca de informações .

O reforço foi solicitado de forma imediata. Policiais Militares de Santa Izabel e do Grupamento Tático Operacional (GTO) de Castanhal deram apoio aos policiais do Batalhão Penitenciário na tentativa de contar o ataque. O clima no centro de detenção era de tensão. Houve troca de tiros com policiais militares que faziam a segurança da unidade prisional. Dois presos foram baleados e encaminhados para o Hospital Metropolitano de Ananindeua. Quatro agentes penitenciários foram feitos reféns.

Uma tropa da Companhia de Operações Especiais (COE) da PM foi deslocada para negociar a liberação dos servidores. As negociações foram suspensas por volta das 03h da manhã e retomadas na manhã desta sexta-feira (28), por volta das 07h, quando um dos quatro agentes foi liberado. Até o momento, a Susipe ainda não confirma o número de fugitivos. As negociações seguem.

com informações da Dol

  Categories: