Vale investe R$ 7 milhões em projetos e convênios no Pará

Vale investe R$ 7 milhões em projetos e convênios no Pará
agosto 22 16:29 2018

Para proporcionar desenvolvimento sustentável às regiões sul e sudeste do Pará, serão investidos apenas para este ano R$ 7 milhões em projetos e convênios apoiados pela Vale, que foram gerados em impostos e tributos. São várias as iniciativas articuladas entre o poder público, a comunidade local, organizações não governamentais, entidades de classe e a mineradora, a fim de capacitar, educar, preservar e gerar empregos e renda para cerca de seis mil famílias.

A Vale investiu no Pará, no primeiro semestre deste ano, um total de R$ 6,86 bilhões, 15% a mais que no mesmo período em 2017. Desse total, R$ 60,9 milhões foram de investimentos sociais (30% a mais que no mesmo período em 2017) e R$ 80 milhões na área ambiental (23% superior ao mesmo período do ano passado).

Em 2018, o volume dessas ações foi duplicado em relação ao ano passado, quando eram 52 projetos. Hoje, o número saltou para 111. “Percebemos que a região onde atuamos é próspera, mas ainda assim precisa de muitos investimentos para as comunidades locais”, afirmou João Coral, gerente executivo de sustentabilidade da Vale.

ABRANGÊNCIA

As iniciativas atendem desde as crianças, com projetos na educação básica, até as capacitações de mulheres, jovens e adultos, nos municípios de Parauapebas, Curionópolis, Ourilândia do Norte, Marabá e Canaã dos Carajás, além da capital. “São projetos culturais, de agricultura familiar, como a cadeia produtiva do leite, sempre baseadas nas potencialidades da comunidade em questão e, claro, no interesse da população”, explicou o executivo.

Entre os 111 projetos, 66 são voltados à geração de trabalho e renda. Cada ação é estudada previamente pela inteligência da empresa que observa as potencialidades de cada região. A Vila de Bom Jesus, na zona rural de Canaã dos Carajás, por exemplo, ganhou um ateliê de costura. O espaço é compartilhado com as mulheres do projeto ‘Fio de Ouro’, com apoio da prefeitura local, do Senai e da empresa Goesol.

AMBIENTAL

Em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, a Vale ajuda a preservar 786 milhões de hectares de floresta nativa. Suas operações ocupam 1,4% da área protegida. “Por ano, investimos R$ 20 milhões na proteção das áreas verdes, como no combate ao garimpo ilegal e também na prevenção de incêndios e desmatamento”,
observou o executivo.

Já Marabá, em julho, foi contemplada com um prédio que vai abrigar o futuro Museu de Espeleologia e Geologia do Sul do Pará, que será o primeiro do seguimento no Norte do Brasil. O projeto já recebeu o investimento de R$ 3,5 milhões. “Percebemos que o Pará, ao longo dos anos, já evoluiu bastante em mão de obra qualificada, porém, ainda há o que avançar na capacitação de mão de obra”, finalizou João Coral.

CULTURA

No incentivo à cultura, a Vale também investe em projetos como o Arrastão do Pavulagem, que leva 60 mil pessoas às ruas de Belém aos domingos da quadra junina. O apoio cultural se estende aos municípios do sul e sudeste paraense, que receberam entre os meses de maio e julho sessões de cinema ao ar livre nas praças centrais das cidades.

Já a Casa da Cultura de Canaã dos Carajás, patrocinada pela Vale, recebeu 5.480 visitantes no 1° semestre de 2018. O local mantém oficinas de artes, bibliotecas e computadores para o incentivo à pesquisa.

  Categories: