Vereadores de Parauapebas vão a Belém cobrar investimentos para segurança pública

Vereadores de Parauapebas vão a Belém cobrar investimentos para segurança pública
abril 06 15:35 2018

Preocupados com o alto índice de violência no município, vereadores de Parauapebas se reuniram com representantes de órgãos de segurança pública na tarde desta quarta-feira (4), no auditório Plenarinho da Câmara Municipal, em busca de soluções que proporcionem paz no município.

A reunião foi sugerida na sessão de terça-feira (3) pelo vereador Zacarias Marques, membro da Comissão de Segurança Pública e Defesa Social da Câmara, e convocada pelo presidente da Casa de Leis, vereador Elias Ferreira.

Presenças

Participaram da reunião os vereadores Elias Ferreira (PSB), presidente do Legislativo; Luiz Castilho (Pros) e Marcelo Parcerinho (PSC), presidente e membro, respectivamente, da Comissão de Segurança Pública e Defesa Social da Câmara; José Pavão (PSDB), Kelen Adriana (PTB), Zacarias Marques (PSDB), Rafael Ribeiro (MDB), Francisca Ciza (DEM) e Joelma Leite (PSD); a procuradora geral da Câmara, advogada Jeanny Frateschi; coronel Mauro Sérgio e tenente-coronel José Luiz Valinoto, comandantes, respectivamente, da Polícia Militar em Marabá e Parauapebas; delegada de Polícia Civil, Yanna Azevedo; e secretário municipal de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão (Semsi), Wanterlor Bandeira.

Marcaram presença ainda representantes da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe), do Instituto de Medicina Legal (IML), da Guarda Municipal de Parauapebas, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), do Gabinete de Gestão Integrada do Município (GGIM), vinculado à Semsi; e gerentes de agências bancárias instaladas na cidade.

No início da reunião, os parlamentares informaram aos representantes dos órgãos de Segurança Pública do Estado que o objetivo do encontro era levantar a real situação de aparelhamento das polícias Militar e Civil; IML e Susipe, além das estruturas físicas dos prédios onde funcionam essas repartições públicas, efetivos militares e civis, e quadro de servidores que prestam serviços nos mesmos, e levar as informações colhidas ao Governo do Estado.

As deficiências apontadas pelos representantes dos órgãos de segurança que atuam no município vão de efetivo reduzido e falta de viaturas a ausência de médicos legistas e peritos criminais.

Para o coronel PM Mauro Sérgio, é preciso que a comunidade, a prefeitura e a polícia sejam parceiras. “Não adianta a polícia ter um grande número de viaturas e de efetivo nos quartéis, se o governo municipal não proporcionar ruas asfaltadas e iluminadas em todos os bairros da cidade”, declarou o oficial da Polícia Militar.

Encaminhamento

Depois que cada representante de órgão relatou suas eventuais dificuldades para atuar no combate à criminalidade, foi sugerido que as repartições públicas oficializem as demandas reprimidas e encaminhem ao GGIM, para que este sistematize as informações e passe aos vereadores, que, por sua vez, vão formar uma comissão e levar as reclamações ao Governo do Estado, em Belém, na próxima quinta-feira, dia 12 de abril.

Texto: Waldyr Silva / Revisão: Nayara Cristina / Fotos: Lucas Dias

  Categories: